Follow by Email

terça-feira, 7 de junho de 2011

O MANUSCRITO VOYNICH

DESDE 1912, O POLÊMICO MANUSCRITO VOYNICH VEM SENDO ESTUDADO POR DEZENAS DE PESSOAS E, APESAR DE POSSÍVEIS DESCOBERTAS RECENTES, SUA ORIGEM E OBJETIVO CONTINUAM UM MISTÉRIO.


POR GILBERTO SCHOEREDER

    LIVROS MISTERIOSOS SÃO UMA CONSTANTE NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE, E POUCOS TÊM CAUSADO TANTO IMPACTO E PROVOCADO TANTAS DISCUSSÕES QUANTO O CHAMADO MANUSCRITO VOYNICH.
ELE RECEBEU ESSE NOME PORQUE SURGIU NO SÉCULO 20 NUMA COLEÇÃO COMPRADA PELO NEGOCIANTE DE LIVROS
WILFRID VOYNICH, EM 1912. APÓS SUA MORTE E DE SUA ESPOSA, O MANUSCRITO PASSOU PARA A SECRETÁRIA DE VOYNICH, ANNE M. NILL, QUE O VENDEU AO NEGOCIANTE HANS P. KRAUS, QUE TENTOU NEGOCIÁ-LO POR 160 MIL DÓLARES, MAS SEM SUCESSO. KRAUS DOOU O MANUSCRITO PARA A UNIVERSIDADE DE YALE, ONDE SE ENCONTRA ATÉ HOJE.
O DETALHE É QUE, ATÉ HOJE, NINGUÉM FOI CAPAZ DE DECIFRAR OS TEXTOS DO LIVRO. O PRIMEIRO PROPRIETÁRIO CONHECIDO FOI O IMPERADOR RODOLFO II (1552-1612), DO SAGRADO IMPÉRIO ROMANO – UM CONGLOMERADO POLÍTICO DE TERRAS NA EUROPA CENTRAL E OESTE, NA IDADE MÉDIA. NO ENTANTO, ALGUNS PESQUISADORES ENTENDEM QUE O MANUSCRITO FOI ELABORADO INICIALMENTE POR ROGER BACON (1214-1294). TAMBÉM SE DIZ QUE O MANUSCRITO FOI OFERECIDO AO IMPERADOR POR JOHN DEE (1527-1608), OUTRO PERSONAGEM MISTERIOSO. DEPOIS DISSO, FOI PROPRIEDADE DE JACOBUS HORCICKY DE TEPENEC, DO ALQUIMISTA GEORGE BARESCH,
DO PROFESSOR JOHANNES MARCUS MARCI E DE ATHANASIUS KIRCHER S.J. (1602-1680), ANTES DE RESSURGIR NA COLEÇÃO DE VOYNICH.
O LIVRO TEM 16 POR 23 CENTÍMETROS E 102 PÁGINAS, EM PERGAMINHO, ALÉM DE FOLHETOS ILUSTRADOS COM AQUARELAS. EM 1921, O ESPECIALISTA EM DECIFRAÇÕES WILLIAM ROMAINE NEWBOLD, DISSE QUE TINHA CONSEGUIDO ENCONTRAR ALGUMAS SOLUÇÕES, AFIRMANDO QUE O TEXTO TRAZIA INFORMAÇÕES SOBRE A
NEBULOSA DE ANDRÔMEDA, SOBRE CROMOSSOMOS, MICROSCÓPIOS E TELESCÓPIOS, ALÉM DE OUTROS INSTRUMENTOS QUE NÃO EXISTIRIAM NA ÉPOCA DA ELABORAÇÃO DO TEXTO, SUPONDO-SE QUE FOI DE FATO ESCRITO POR BACON.

CLARO QUE NÃO PODIAM FALTAR IGUALMENTE AS PROPOSTAS DE QUE OS CONHECIMENTOS CONTIDOS NO MANUSCRITO TÊM ORIGEM EXTRATERRESTRE, OU MESMO QUE SÃO RESQUÍCIOS DE CIVILIZAÇÕES MILENARES JÁ DESAPARECIDAS. MAS NADA SUSTENTA ESSAS PROPOSIÇÕES.
RECENTEMENTE, O ESPECIALISTA EM COMPUTAÇÃO GORDON RUGG, DA UNIVERSIDADE KEELE, AFIRMOU QUE O MANUSCRITO É UM EXCEPCIONAL TRABALHO DE
CRIPTOGRAFIA, REALIZADO POR EDWARD KELLEY, UM EMPRESÁRIO DA ÉPOCA ELIZABETANA.
SEGUNDO RUGG, O MANUSCRITO FOI COMPRADO PELO IMPERADOR RODOLFO II POR 600 DUCADOS, UMA VERDADEIRA FORTUNA NA ÉPOCA. "AS PESSOAS CLARAMENTE PENSAVAM QUE ELE CONTINHA ENSINAMENTOS SECRETOS E GRANDE CONHECIMENTO", DIZ RUGG, "E ESTAVAM DISPOSTAS A PAGAR PARA APRENDÊ-LOS".
DIZ-SE QUE ALGUNS DOS CARACTERES PARECEM NÚMEROS ROMANOS E LETRAS LATINAS, MAS OUTROS NÃO SE PARECEM COM QUALQUER COISA VISTA ANTES. NO ENTANTO, A LINGUAGEM PARECE TER UMA ESTRUTURA E MANTÉM UM PADRÃO. ALGUNS CRIPTÓLOGOS CHEGARAM A AFIRMAR QUE O MANUSCRITO VOYNICH FOI ESCRITO EM ANTIGO UCRANIANO, ENQUANTO OUTROS DIZEM QUE É UMA FORMA DE CHINÊS. AINDA ASSIM, NINGUÉM CONSEGUIU DECIFRÁ-LO OU MESMO SUSTENTAR A REIVINDICAÇÃO DE QUE SE TRATAVA DE UMA FRAUDE.

RUGG E SUA EQUIPE ACREDITAM TER ENCONTRADO O SEGREDO DO MANUSCRITO VOYNICH. ELES AFIRMAM QUE AS VÁRIAS PALAVRAS QUE APARECEM AO LONGO DO TEXTO PODEM TER SIDO CRIADAS POR MEIO DO USO DE TABELAS E GRADES. AS DIFERENTES SÍLABAS QUE FORMAM AS PALAVRAS SÃO ESCRITAS EM COLUNAS, E UMA GRADE – UM PEDAÇO DE CARTOLINA COM TRÊS QUADRADOS CORTADOS NUM PADRÃO DIAGONAL – DESLIZA AO LONGO DAS COLUNAS. AS TRÊS SÍLABAS EXPOSTAS FORMAM UMA PALAVRA. A GRADE É PUXADA PARA EXPOR TRÊS NOVAS SÍLABAS, E UMA NOVA PALAVRA SURGE.
A CONCLUSÃO DE RUGG É QUE A LINGUAGEM DO MANUSCRITO É COMPLETAMENTE SEM SENTIDO, E QUE ELE FOI CRIADO POR KELLEY COMO UMA FORMA DE GANHAR DINHEIRO.
AINDA ASSIM, A EXPLICAÇÃO NÃO ESTÁ SENDO ACEITA POR TODOS OS ESTUDIOSOS DO MANUSCRITO VOYNICH, E NÃO SÃO POUCAS AS PROPOSTAS DE EXPLICAÇÃO. O MAIS PROVÁVEL É QUE A POLÊMICA AINDA DURE MAIS ALGUM TEMPO.

FONTE DO ALFABETO VOYNICHIANO
PARA AQUELES QUE DESEJAM SE APROFUNDAR NO ESTUDO DESTE LIVRO OU SIMPLESMENTE GOSTAM DA IDÉIA DE CRIAR SIGILOS OU TABELAS MÁGICAS COM O ALFABETO VOYNICHIANO OU AINDA QUEIRAM APENAS SE DIZERTIR ESCREVENDO TEXTOS EM VOYNICHÊS
CLIQUE aqui para fazer o download DA FONTE USADA PARA ESCREVER O MANUSCRITO EM FORMATO TTF, BASTA INSTALAR NO MICRO E SAIR USANDO. ABAIXO UM MAPA DO TECLADO COM AS CORRESPONDÊNCIAS LATINAS DO ALFABETO MISTERIOSO:


sexta-feira, 3 de junho de 2011

PROJETO HAARP - USO DE ALTA TECNOLOGIA PARA FINS BÉLICOS


POR: ROGÉRIO CHOLA                                                                                       

O PROJETO DENOMINADO HIGH FREQUENCY ACTIVE AURORAL RESERACH PROGRAM (HAARP) OU PROGRAMA DE INVESTIGAÇÃO DE ALTA FREQÜÊNCIA ATIVA E AURORAL COMEÇOU COM O TÍTULO DE “EXPERIMENTO CIENTÍFICO DE COMUNICAÇÃO” E HOJE ESTÁ ENQUADRADO NA CARACTERÍSTICA DE “ESTRATÉGIA / INTELIGÊNCIA TÁTICA / GUERRA ELETRÔNICA”. O OBJETIVO SERIA O ESTUDO DA CAMADA DA ATMOSFERA CONHECIDA COMO IONOSFERA. HOJE, SABE-SE QUE A IONOSFERA É UMA CAMADA DE PLASMA (O QUARTO ESTADO DA MATÉRIA E A SUBSTÂNCIA MAIS COMUM QUE COMPÕE O UNIVERSO CONHECIDO).


ESSE ESTADO É DIFÍCIL DE SER PRODUZIDO E CONTROLADO EM LABORATÓRIO. ASSIM, A EXISTÊNCIA DESTA CAMADA NA TERRA É UMA EXCELENTE FONTE DE PESQUISAS E, CLARO, DE “TESTES”. INFELIZMENTE, EXISTEM VÁRIAS POSSIBILIDADES COM ESTE PROJETO.

A IONOSFERA TEM A CAPACIDADE DE PERMITIR COMUNICAÇÕES DE LONGO ALCANCE EM ALTAS E BAIXAS FREQÜÊNCIAS, PRINCIPALMENTE UTILIZADA EM SISTEMAS MILITARES E DE VIGILÂNCIA.

O SOL TEM UM EFEITO CONSIDERÁVEL SOBRE ESTA CAMADA, ATRAVÉS DO “VENTO” SOLAR (SUN FLARES) E EJEÇÃO DE MASSA CORONAL (CME´S), AS POPULARMENTE CONHECIDAS “TEMPESTADES SOLARES”, SENDO CAPAZ DE PROVOCAR O TOTAL ANIQUILAMENTO DA COMUNICAÇÃO VIA ONDAS ELETROMAGNÉTICAS EM TODO O PLANETA (VIDE O EVENTO OCORRIDO EM 03.08.1997, ONDE UM “BLACKOUT” ELETROMAGNÉTICO PAROU QUASE TODOS OS EUA).

OUTROS FENÔMENOS CAUSADOS PELA ATIVIDADE SOLAR SÃO AS “AURORAS” (ELETROJATOS OU ELETROMOTOS) QUE PODEM ALCANÇAR A POTÊNCIA DE MILHÕES DE AMPÈRES (INTENSIDADE DE CORRENTE ELÉTRICA) E PROVOCAR VÁRIOS FENÔMENOS, INDUZINDO ESTA FANTÁSTICA CORRENTE ELÉTRICA ATRAVÉS DAS “LINHAS DE FORÇA” QUE FORMAM A MATRIZ (GRID) ELETROMAGNÉTICA TERRESTRE.

ESTES EFEITOS PODEM PROVOCAR DESDE MUDANÇAS NO CLIMA (COM TEMPESTADES, FURACÕES, RELÂMPAGOS) ATÉ MUDANÇAS NO COMPORTAMENTO HUMANO SOB INFLUÊNCIA DO FORTE EFEITO ELETROMAGNÉTICO (EMI – ELETRO MAGNETIC INTERFERENCE). MODERNAS SIMULAÇÕES REALIZADAS EM COMPUTADORES DA SÉRIE CRAY DEMONSTRAM A ENORME VARIAÇÃO E TURBULÊNCIA QUE OCORRE NA IONOSFERA DURANTE UMA TEMPESTADE GEOMAGNÉTICA SOLAR.

ENFIM, SE ALGO OU ALGUÉM PUDESSE CONTROLAR ESTES EVENTOS, TERÍAMOS UM PODEROSO INSTRUMENTO CAPAZ DE ALTERAR O CLIMA EM CERTAS REGIÕES, ELIMINAR O SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DE UM PAÍS E INDUZIR A COMPORTAMENTOS ESTRANHOS NA POPULAÇÃO E O ANIQUILAMENTO DE EQUIPAMENTOS MILITARES ELETRÔNICOS ATRAVÉS DE PULSOS ELETROMAGNÉTICOS (PEM) CONTROLADOS.

O MAIS CURIOSO E AO MESMO TEMPO ASSUSTADOR É QUE ESSE TIPO DE EQUIPAMENTO POSSIBILITA A UTILIZAÇÃO DE TRANSMISSÕES / EMISSÕES DE ONDAS ELETROMAGNÉTICAS DE BAIXA FREQÜÊNCIA / COMPRIMENTO LONGO (ULF-ELF-VLF) É POSSÍVEL SE DETECTAR, MAPEAR E GERAR IMAGENS DE ESTRUTURAS SUBTERRÂNEAS E INCLUSIVE CRIAR UM SISTEMA DE COMUNICAÇÃO SUBTERRÂNEA QUE NÃO É AFETADO POR QUALQUER TIPO DE ATIVIDADE DE SUPERFÍCIE.

ISTO SERIA FEITO INVERTENDO-SE AS PROPRIEDADES DOS CAMPOS ELETROMAGNÉTICOS PARA SE OBTER PARÂMETROS GEOFÍSICOS E IMAGENS REALÍSTICAS ABAIXO DA SUPERFÍCIE TERRESTRE, COM O OBJETIVO PRINCIPAL DE MAPEAR ESTRUTURAS FEITAS PELO HOMEM OU ARTIFICIAIS.

BEM, ESTE ASSUNTO PODE IMPLICAR EM MUITOS DESDOBRAMENTOS QUE NÃO ENTRAREI EM DETALHES, MAS, PARA REFLEXÃO, LEMBRO QUE RECENTEMENTE OS EUA DESENVOLVERAM UMA ARMA CAPAZ DE DESTRUIR INSTALAÇÕES SUBTERRÂNEAS A GRANDE PROFUNDIDADE.

QUANTO AO FATO DE TAL DISPOSITIVO PODER PROVOCAR TERREMOTOS SERIA UMA POSSIBILIDADE, POIS O SOM É UMA FREQÜÊNCIA QUE QUANDO DIRECIONADA, POTENCIALIZADA E EM ESTADO RESSONANTE COM A ESTRUTURA QUE SE DESEJA ATINGIR, PODE PROVOCAR O TOTAL ANIQUILAMENTO DE TAL ESTRUTURA COMO SE ESTA FOSSE FEITA DE MATERIAL FRÁGIL.

MAS, AÍ SERIA OUTRO TIPO DE ONDA ELETROMAGNÉTICA NÃO IONIZANTE (TALVEZ UMA FAIXA DE MICROONDAS – SHF OU EHF). SEMPRE QUE ME PERGUNTAM A RESPEITO, LEMBRO-ME DO FILME PROTAGONIZADO PELO ATOR STEVE SEAGAL FORÇA EM ALERTA 2, EM QUE UM CIENTISTA DISSIDENTE INVENTA UM SATÉLITE CAPAZ DE GERAR PULSOS LOCALIZADOS DE MICRO-ONDAS E ASSIM PROVOCAR TERREMOTOS.
SEAGAL É UM BOM AMIGO E TODO FILME QUE ELE FAZ É BASEADO EM PESQUISAS REAIS. ESTE DISPOSITIVO REALMENTE EXISTE COMO PESQUISA. TEORICAMENTE É POSSÍVEL PRODUZIR TERREMOTOS OU PONTOS DE RUPTURA POR MICROONDAS, ATRAVÉS DA EXPANSÃO DAS MOLÉCULAS DE ÁGUA DO INTERIOR DAS ROCHAS. SE ALGUÉM JÁ CONSEGUIU FAZER ISTO, NÃO SEI.

PELO QUE PESQUISEI, É POSSÍVEL QUE NICHOLA TESLA TENHA DESENVOLVIDO UM DISPOSITIVO PARECIDO E TENHA SE ESPANTADO COM SEU PODER E ASSIM TRATOU DE DESTRUÍ-LO E ESCONDER AS ANOTAÇÕES QUE MAIS TARDE FORAM CONFISCADAS PELO GOVERNO NORTE-AMERICANO, O QUAL PROVAVELMENTE PODE SER O RESPONSÁVEL PELA SUA MORTE.

ALGUNS ACREDITAM QUE O EVENTO DE TUNGUSKA EM 1908 FOI O RESULTADO DE UM TESTE REALIZADO COM O EQUIPAMENTO DE TESLA, CONDUZINDO UMA CARGA ELETROMAGNÉTICA ATRAVÉS DA IONOSFERA. O OBJETIVO DE TESLA SERIA O DE TESTAR UM SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DE BAIXO CUSTO QUE CIRCULASSE O PLANETA.

OUTRO DADO INTERESSANTE É QUE OS EFEITOS ELETROMAGNÉTICOS ESTÃO LIGADOS AO DESENVOLVIMENTO DA MAGNETO HIDRO DINÂMICA (MHD), MUITO PESQUISADA PELA MARINHA COMO SISTEMA DE PROPULSÃO DE SEUS SUBMARINOS DAS CLASSES LOS ANGELES E CALIFÓRNIA (AMBOS NUCLEARES). COMO SABEMOS, A PROPAGAÇÃO DE ONDAS ELETROMAGNÉTICAS NA ÁGUA É PREJUDICADA E, POR ISSO, A TRANSMISSÃO ENTRE BASES NA SUPERFÍCIE E SUBMARINOS EM ÁGUAS PROFUNDAS É FEITA ATRAVÉS DE ONDAS ELF.

CURIOSAMENTE, UM EPISÓDIO DA SÉRIE DE TV ARQUIVO X TRATOU ESPECIFICAMENTE DESSE EFEITO, QUE CAUSAVA NAS PESSOAS PRÓXIMAS DE TRANSMISSORES ELF DA MARINHA, UMA IRRESISTÍVEL VONTADE DE IR NUMA DIREÇÃO ESPECÍFICA DE ACORDO COM A PROPAGAÇÃO ELETROMAGNÉTICA, COMO SE ESTIVESSE SEGUINDO UM SINAL. QUANTO MAIS A PESSOA ANDAVA NA VELOCIDADE DA ONDA, MELHOR SE SENTIA, E SE PARASSE, TINHA DORES TERRÍVEIS ATÉ MORRER, COM A IMPLOSÃO DOS CENTROS RECEPTORES DO CÉREBRO.

ESSE EPISÓDIO FOI BASEADO EM FATOS REAIS! O SEGUINTE LINK MOSTRA UMA COMUNICAÇÃO ENDEREÇADA AO D.O.D. (DEPARTAMENT OF DEFENSE) DOS EUA, PEDINDO O TÉRMINO IMEDIATO DE PROJETOS BASEADOS EM ELF EM ÁREAS CIVIS:


***VEJAM O PARÁGRAFO QUE TRATA DE RISCOS PARA A SAÚDE PÚBLICA.

RECENTEMENTE, O SENADO DOS EUA APROVOU UMA VERBA DE US$ 140 MILHÕES PARA O PROGRAMA DE GUERRA ELETRÔNICA DAS SOCOM (SPECIAL OPERATIONS COMMAND / COMANDO DE OPERAÇÕES ESPECIAIS); NELAS ESTÃO INCLUÍDOS OS ESCUDOS ANTIMÍSSEIS ASAT (ARMY TACTICAL ANTI-SATELLITE TECHNOLOGIES) E HAARP.

TAMBÉM EM DATA RECENTE, O GOVERNO DOS EUA LIBERARAM BILHÕES DE DÓLARES PARA DESENVOLVER NOVAS ARMAS PARA GANHAR AS GUERRAS DO NOVO SÉCULO, SEGUNDO UM ALTO FUNCIONÁRIO DO DEPARTAMENTO DE DEFESA. ESTAS ARMAS NÃO SERÃO CANHÕES, BOMBAS OU BALAS, MAS SIM, UM POLÊMICO ESCUDO ANTIMÍSSIL, CUJO PROJETO E DESENVOLVIMENTO DEVEM CUSTAR US$ 7,9 BILHÕES.

FUNCIONÁRIOS DO DEPARTAMENTO DE DEFESA EXPLICARAM QUE ESTAS NOVAS ARMAS SÃO LASERS DE ALTA ENERGIA, SISTEMA DE MICROONDAS E AERONAVES CIBERNÉTICAS, MUITAS DAS QUAIS ATUARÃO SEM TRIPULANTES, AS DENOMINADAS UAV (UNMANNED AERIAL VEHICLE), RPV (REMOTELY PILOTED VEHICLE) E UCAV (UNINHABITED COMBAT AIR VEHICLE).

O PROJETO HAARP ESTÁ SOB COORDENAÇÃO DA USAF ATRAVÉS DA UNIVERSIDADE DO ALASCA http://www.haarp.alaska.edu/ E DA USNAVY ATRAVÉS DO NAVAL RESEARCH LABORATORY http://server5550.itd.nrl.navy.mil/projects/haarp/index.html

UM DOS MELHORES LUGARES PARA SE OBTER INFORMAÇÃO CONFIÁVEL (AINDA E POR ENQUANTO) É O SITE DA FEDERATION OF AMERICAN SCIENTISTS (FAZ) http://www.fas.org UMA ESPÉCIE DE NATIONAL RIFLE ASSOCIATION (NRA) DA CIÊNCIA, DAÍ SEU FORTE PODER DE UNIÃO E DIVULGAÇÃO. É UMA ENTIDADE DE PESQUISA SÉRIA E RESPEITADA NA COMUNIDADE CIENTÍFICA.

UM ÓTIMO LINK PARA SE CONHECER OS PROJETOS AMERICANOS É O DO INTELLIGENCE PROGRAMS AND SYSTEMS, EM http://www.fas.org/irp/program/list.htm E TAMBÉM O DO INTELLIGENCE COLLECTION PROGRAMS AND SYSTEMS EM http://www.fas.org/irp/program/collect/

PARA FINALIZAR, AINDA NO ASSUNTO “ARMAS”, SE JÁ NÃO BASTASSEM AS ARMAS DE PULSO ELETROMAGNÉTICO (EMP) E HIGH POWER MICROWAVE (HPM), VEJA O QUE NOS AGUARDA EM:


SOBRE LIVROS, OS MELHORES QUE LI A RESPEITO DESSE ASSUNTO SÃO:

THE LOST JOURNALS OF NIKOLA TESLA: HAARP – CHEMTRAILS AND SECRET OF ALTERNATIVE 4 – TIM SWARTZ
ANGELS DON’T PLAY THIS HAARP: ADVANCES IN TESLA TECHNOLOGY – NICK BEGICH E JEANE MANNING HAARP: THE ULTIMATE WEAPON OF THE CONSPIRACY – JERRY E. SMITH
SECRETS OF COLD WAR TECHNOLOGY: PROJECT HAARP AND BEYOND – GERRY VASSILATOS THE EARTH’S IONOSPHERE – ACADEMIC PRESS – KELLEY, M. C. – 1989
IONOSPHERIC RADIO – PETER PEREGRINUS LTD – KENNETH DAVIES – 1990
AN INTRODUCTION TO THE IONOSPHERE AND MAGNETOSPHERE – J. A. RATCLIFFE – 1972

OUTRO TRABALHO QUE RECOMENDO A LEITURA PARA QUEM QUISER SE APROFUNDAR EM UFOLOGIA MILITAR É:

UNDERGROUND BASES AND TUNNELS – WHAT IS THE GOVERNMENT TRYING TO HIDE? E UNDERGROUND BASES AND TUNNELS. ESCRITOS PELO DR. RICHARD SAUDER, QUE TEM DEMONSTRADO QUE NOSSA HUMANIDADE JÁ POSSUI GRANDE TECNOLOGIA PARA ESCAVAR IMENSAS INSTALAÇÕES SUBTERRÂNEAS E AQUÁTICAS. VALE DESTACAR QUE MUITAS DAS BASES CITADAS NESTE TRABALHO ESTÃO EM ÁREA DE ALTA INCIDÊNCIA DE AVISTAMENTOS DE ÓVNIS, O QUE CORROBORA A HIPÓTESE DE QUE GRANDE PARTE DESTES ÓVNIS OBSERVADOS PODE NA VERDADE SER DE PROCEDÊNCIA TERRESTRE.

OUTRO PONTO DE REFLEXÃO SERIA SOBRE EVENTUAIS ALIENÍGENAS QUE SE FOREM UM POUCO MAIS AVANÇADOS TAMBÉM PODERIAM CONSTRUIR ALGO SIMILAR AQUI OU EM OUTROS PLANETAS. MAIORES INFORMAÇÕES EM:



QUEM LER ESTES LIVROS VERÁ QUE CAÍMOS NO QUE CONVERSAMOS HÁ TEMPOS SOBRE O PROJETO HAARP (E OS USOS DESSA TECNOLOGIA NO MAPEAMENTO DE ESTRUTURAS PROFUNDAS COM ONDAS ELF) E AS NOVAS ARMAS DE PROFUNDIDADE PARA SER UTILIZADAS A VÁRIOS METROS ABAIXO DA SUPERFÍCIE.
LIVRO: ARMAS ELETROMAGNÉTICAS DE JERRY E. SMITH

HAARP É UM DOS PROJETOS MAIS CONTROVERSOS JÁ EMPREENDIDOS PELO GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS. OFICIALMENTE, TRATA-SE DE UM COMPLEXO DE ANTENAS CUJA FINALIDADE É PROMOVER ESTUDOS DE CARÁTER PURAMENTE CIENTÍFICO. MAS MUITOS PESQUISADORES QUESTIONAM ESSA VERSÃO.

POR QUE UM PROJETO NÃO MILITAR E VOLTADO EXCLUSIVAMENTE PARA A PESQUISA DESENVOLVERIA UMA TECNOLOGIA CAPAZ DE CRIAR UMA
SUPER ARMA ELETROMAGNÉTICA, DE PROMOVER MODIFICAÇÕES CLIMÁTICAS QUE COMPROMETERIAM O MEIO AMBIENTE GLOBAL E ATÉ MESMO DE CONTROLAR MENTALMENTE POPULAÇÕES INTEIRAS?
POR MEIO DE UMA LINGUAGEM CLARA E ACESSÍVEL, SMITH EXPLICA DE QUE FORMA O PROJETO HAARP PODE SER UTILIZADO COMO ESPANTOSA E TERRÍVEL ARMA DE DESTRUIÇÃO EM MASSA, REVELA UM PLANO MILITAR SECRETO E CONDUZ O LEITOR POR UMA TRILHA DE EVIDÊNCIAS QUE LEVAM A TEORIAS DE CONSPIRAÇÃO VERDADEIRAMENTE ASSUSTADORAS.
AUTOR: JERRY E. SMITH
380 PÁGS.
16 X 23 CM



A VENDA EM:
http://esotera.com.br/livros/investigacao/armas-eletromagneticas


quinta-feira, 2 de junho de 2011

A POLUIÇÃO ESPACIAL: O LIXO SOBRE NOSSAS CABEÇAS!


PROBLEMAS CAUSADOS PELA POLUIÇÃO ESPACIAL: ESTE ARTIGO APRESENTA A POLUIÇÃO ESPACIAL E SUAS CARACTERÍSTICAS, ACENTUANDO A IMPORTÂNCIA DA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DESTA FORMA DE POLUIÇÃO TÃO POUCO DISCUTIDA.                                                                                 ABORDAM-SE TAMBÉM OS PROBLEMAS QUE SÃO CAUSADOS AO HOMEM, APRESENTANDO PERSPECTIVAS FUTURAS E SUGESTÕES DE SOLUÇÕES PARA ESSE MEIO DE POLUIÇÃO.                                                                                                                                                                                                                   INTRODUÇÃO: O HOMEM NEM SEMPRE TEVE A TECNOLOGIA NECESSÁRIA PARA ENVIAR OBJETOS PARA FORA DA ATMOSFERA TERRESTRE.                    COM ISSO, A POLUIÇÃO ESPACIAL É UM MEIO DE POLUIÇÃO BASTANTE RECENTE, DIFERENTE DE OUTRAS FORMAS DE POLUIÇÃO JÁ CONSOLIDADAS.         O PRIMEIRO OBJETO PRODUZIDO PELO HOMEM LANÇADO AO ESPAÇO FOI O SATÉLITE SPUTNIK I, ENVIADO PELA URSS (UNIÃO DAS REPUBLICAS SOCIALISTAS SOVIÉTICAS) EM 4 DE OUTUBRO DE 1957. A PARTIR DE ENTÃO, VÁRIOS OUTROS SATÉLITES FORAM ENVIADOS POR DIVERSOS OUTROS PAÍSES E HOJE MILHARES DELES ORBITAM NOSSO PLANETA E TORNAM POSSÍVEIS VÁRIAS TECNOLOGIAS QUE UTILIZAMOS ATUALMENTE. NO ENTANTO, NÃO APENAS   SATÉLITES   ATIVOS   HABITAM  AS   PROXIMIDADES   DA  TERRA,  MAS TAMBÉM RESTOS DE FOGUETES E SATÉLITES INATIVOS E SEM RUMO E ATÉ ROUPAS E UTENSÍLIOS LARGADOS NO ESPAÇO. ESTES CONSTITUEM O QUE SE PODE CHAMAR DE “LIXO ESPACIAL”. INCLUINDO TODAS AS FORMAS DE LIXO ESPACIAL, ATUALMENTE EXISTEM CERCA DE 4 MILHÕES DE PEDAÇOS DE OBJETOS CIRCULANDO EM VOLTA DA TERRA [1]. ESTE ARTIGO  SE PROPÕE A APRESENTAR  PROBLEMAS  QUE  EXISTEM ATUALMENTE DEVIDO AOS RESTOS DE MATERIAL QUE RESIDEM NO ESPAÇO, EXPONDO PERSPECTIVAS PARA O FUTURO E MEDIDAS IMPORTANTES QUE PODEM SER   TOMADAS A  FIM DE EVITAR  QUE AINDA MAIS  RESTOS DE MATERIAIS ALOJEM-SE AO REDOR DA TERRA.                                                                                                                                                                                                     POLUIÇÃO: DURANTE O DECORRER DA EVOLUÇÃO DO SER HUMANO, ESTE INVENTOU VÁRIOS INSTRUMENTOS E UTILIZOU-SE DESSES OBJETOS PRODUZIDOS POR ELE PARA FACILITAR OU GARANTIR MELHORES CONDIÇÕES PARA SUA VIDA EM SEU HABITAT NATURAL (QUE SE VERIFICA EM PRATICAMENTE TODO O GLOBO). ENTRETANTO,  MUITAS VEZES AS MODIFICAÇÕES CAUSADAS PELO HOMEM AO MEIO-AMBIENTE PROVOCAM DESEQUILÍBRIO À ESTRUTURA DA BIOSFERA. DE ACORDO COM A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA [2], POR POLUIÇÃO ENTENDE-SE  TODA FORMA DE DEGRADAÇÃO   DO MEIO-AMBIENTE   RESULTANTE   DE   ATIVIDADES   QUE   DIRETA   OU   INDIRETAMENTE PREJUDIQUEM A SAÚDE, A SEGURANÇA E O BEM-ESTAR DA POPULAÇÃO; CRIEM CONDIÇÕES ADVERSAS ÀS ATIVIDADES SOCIAIS E ECONÔMICAS;  AFETEM DESFAVORAVELMENTE OS SERES VIVOS OU AFETEM AS CONDIÇÕES ESTÉTICAS OU SANITÁRIAS DO AMBIENTE. DESDE O PRINCÍPIO O HOMEM VEM POLUINDO A NATUREZA. AO PASSO QUE SE AUMENTA CADA VEZ MAIS SUA ÁREA DE OCUPAÇÃO, TOMANDO O ESPAÇO ANTES DE OUTRAS CRIATURAS, ELE DEIXA RASTROS IRREPARÁVEIS AO MEIO-AMBIENTE.  HOJE EXISTEM MILHARES DE FORMAS DE POLUIÇÃO,  CADA QUAL COM SUA INTENSIDADE DE DANOS CAUSADOS E IMPORTÂNCIA DE PREVENÇÃO. ALGUNS EXEMPLOS DE POLUIÇÃO   SOFRIDOS   PELO   MEIO-AMBIENTE   SÃO:   POLUIÇÃO   DA   ÁGUA,   DO   SOLO,   LUMINOSA, ATMOSFÉRICA, RADIOATIVA, SONORA, VISUAL. ENFIM, EXISTE UMA INFINIDADE DELAS. NESTE TRABALHO IREMOS ABORDAR A POLUIÇÃO ESPACIAL.  POLUIÇÃO ESPACIAL: A PARTIR DO SPUTNIK I, O MUNDO CONHECEU UMA FORMA DE POLUIÇÃO INEXISTENTE ATÉ ENTÃO: A POLUIÇÃO ESPACIAL.
QUANDO SE FALA EM POLUIÇÃO ESPACIAL, O “ESPAÇO” ENVOLVIDO NÃO É O COSMOS INTEIRO, OU O “INFINITO”. O ESPAÇO QUE É POLUIDO PELO HOMEM E QUE MERECE CUIDADOS É O DE ATÉ OS 1.000 KM DISTANTE DA SUPERFÍCIE DA TERRA. A POLUIÇÃO ESPACIAL  CONSISTE DO AGLOMERADO DE OBJETOS MANDADOS PELO HOMEM AO ESPAÇO. ELES SE ALOJAM FORA DO PLANETA E ENTRAM EM ÓRBITA, PERMANECENDO POR LÁ DURANTE MUITO TEMPO, ATÉ QUE UM DIA COLIDAM COM OUTRO OBJETO, OU ENTREM NA ATMOSFERA TERRESTRE. COM O AUMENTO NO NÚMERO DE DETRITOS ESPACIAIS NO ESPAÇO, TORNA-SE MAIS PROVÁVEL QUE UM METEORITO, UM SATÉLITE OU OUTRO CORPO ESPACIAL QUALQUER ATINJA ALGUM OUTRO DETRITO E CAUSE   SUA   DIVISÃO   (MUITAS   VEZES   EM MILHÕES   DE   PARTES),   AUMENTANDO   AINDA  MAIS   A QUANTIDADE DE LIXO NO ESPAÇO E A PROBABILIDADE DE FUTURAS COLISÕES.
                                                                                                                                                                                                                                                          LIXO ESPACIAL: O ESPAÇO PELO QUAL OS SATÉLITES E OS ÔNIBUS ESPACIAIS TRAFEGAM ESTÁ FICANDO CADA VEZ MAIS CONGESTIONADO POR RESÍDUOS, EM ALGUNS CASOS DE ORIGEM NUCLEAR OU QUÍMICA.  NO ESPAÇO,  PEDAÇOS DE FOGUETES OU PLATAFORMAS ESPACIAIS,  DE SATÉLITES QUE NÃO SÃO MAIS   FUNCIONAIS,   DE FRAGMENTOS  DE   UTENSÍLIOS   E  DE  DEJETOS  HUMANOS   (URINA,   FEZES)   SÃO CONSIDERADOS DETRITOS ESPACIAIS / LIXOS ESPACIAIS (SPACE DEBRIS OU SPACE JUNK). EXISTEM   VÁRIOS   FRAGMENTOS   DE   OBJETOS   QUE   CIRCULAM   A   TERRA.   ALGUNS   SÃO MICROSCÓPICOS (MUITAS VEZES APENAS POEIRA ESTELAR DEIXADA PRA TRÁS POR COMETAS), ENQUANTO OUTROS SÃO RESTOS DE TINTA, VIDROS OU CHAPAS DE METAL – RESULTADO DA POLUIÇÃO DE 50 ANOS DE INVESTIMENTO NO ESPAÇO. EXISTEM MAIS DE 150.000 OBJETOS EM ÓRBITA,  A MAIORIA ENTRE 1 CM E 10 CM. ESSES OBJETOS     SÃO   ORIUNDOS   DA   ÉPOCA   DA  GUERRA   FRIA   E   DO   CRESCIMENTO   DOS   SISTEMAS   DE COMUNICAÇÃO ATRAVÉS DO USO DOS SATÉLITES. EXISTEM OBJETOS EM ÓRBITA DE TODOS OS TAMANHOS: DESDE   LUVAS   DE   ASTRONAUTAS,   CHAVES   DE   FENDAS   PERDIDAS   DURANTE   CONSERTOS   EM  NAVES, CHEGANDO ATÉ A RESQUÍCIOS DE FOGUETES E ÔNIBUS ESPACIAIS DESTRUÍDOS
[3]. OBJETOS SOLTOS NO ESPAÇO PODEM DEMORAR DESDE ALGUNS MESES ATÉ MILHARES DE ANOS ATÉ QUE ATINJAM COM A BARREIRA DA ATMOSFERA E EVAPORAREM, CASO NÃO A ULTRAPASSEM [15]. DENTRE TODOS OS 150.000 OBJETOS QUE GIRAM PELA ÓRBITA DA TERRA, UMA PEQUENA PARCELA (MENOS DE 10.000 DELES) CHEGAM A PESAR 200 TONELADAS, SENDO REPRESENTADOS MUITAS VEZES POR PEDAÇOS DE PLATAFORMAS ESPACIAIS ABANDONADAS OU INOPERANTES. TODOS OS OBJETOS DE TAMANHO CONSIDERÁVEL SÃO POSSÍVEIS DE SEREM CATALOGADOS GRAÇAS A UM RADAR QUE VASCULHA O ESPAÇO À PROCURA DESSES OBJETOS. ESTE RADAR CONSEGUE MAPEAR TODOS OS OBJETOS DE GRANDE PORTE E CASO ALGUM DELES VENHA A CAIR, ELES TÊM SUA TRAJETÓRIA ESTIMADA E MONITORADA PARA DESPENCAREM EM ÁREAS SEM HABITANTES, EM OCEANOS OU DESERTOS. O MONITORAMENTO É FEITO, PRINCIPALMENTE, POR MILITARES DOS ESTADOS UNIDOS E DA RÚSSIA, QUE SÃO OS RESPONSÁVEIS PELA MAIOR PARTE DE TODO O LIXO ESPACIAL EM ÓRBITA [3]. CASO TODO ESSE LIXO FOSSE SER RETIRADO, O CUSTO FINAL SERIA DA ORDEM DE 5,6 BILHÕES DE DÓLARES [4], ALÉM DE VÁRIOS   ANOS   DE   ESPERA   PELO PROCESSO.   POR   ISSO  UM  SISTEMA   DE  MONITORAMENTO  É  MAIS CONVENIENTE DO QUE RETIRAR PEDAÇO POR PEDAÇO DOS DETRITOS DO ESPAÇO. MESMO AS PARTÍCULAS MENORES OFERECEM BASTANTE PERIGO, POIS VIAJAM A 1,6 QUILÔMETROS POR SEGUNDO. ESSA VELOCIDADE FAZ ESSAS PARTÍCULAS TEREM A POTÊNCIA DE UMA BALA. EM 1995 UM SATÉLITE EXPLODIU APÓS UMA COLISÃO COM RESTOS DE URINA EMBALADA QUE ESTAVAM VIAJANDO PELO ESPAÇO JÁ HÁ MUITO TEMPO [5]. TODOS   OS   OBJETOS   QUE   ESTÃO   EM  ÓRBITA   CONTINUAM  EM  ÓRBITA   ATÉ   PERDEREM  SUA VELOCIDADE E SEREM CAPTURADOS PELA GRAVIDADE DA TERRA, OU ATÉ SAÍREM PERMANENTEMENTE DAS PROXIMIDADES TERRESTRES. QUANDO ENTRAM NA ATMOSFERA TERRESTRE FICAM INCANDESCENTES DEVIDO À TEMPERATURA QUE CHEGA A SER DE 1.000 ºC. NORMALMENTE, OS OBJETOS SE DESINTEGRAM, UMA VEZ QUE A MAIORIA NÃO TEM UMA RESISTÊNCIA SUFICIENTE PARA AGÜENTAR  TAL TEMPERATURA, MAS PARA OS QUE RESISTEM, PODEM ATINGIR 400 KM/H DURANTE O PROCESSO DE QUEDA.                                                                                                                                                                               A FIGURA 1 APRESENTA A DISPOSIÇÃO DO LIXO ESPACIAL  EM  TORNO DO PLANETA TERRA. [6]

  
A   MAIOR   PARTE   DO CONGESTIONAMENTO DE  LIXO ESPACIAL ESTÁ   ALÉM DOS  600 KM DE   ALTURA, EMBORA EM ÁREAS COMO ENTRE 300 E 600 KM, ONDE OS ÔNIBUS ESPACIAIS TRAFEGAM,   PRECISEM   TAMBÉM   SER MONITORADAS PELOS RADARES.  MUITAS VEZES, SÃO ENVIADAS INSTRUÇÕES PARA OS ÔNIBUS ESPACIAIS PARA GANHAR OU PERDER ALTURA A FIM
DE   SE   ESQUIVAREM   DO   LIXO.   NO ESPAÇO,  UM PEQUENO  FRAGMENTO EM ÓRBITA PODE ESTAR VIAJANDO A 28.000 KM/H,  PODENDO RASGAR, LITERALMENTE, UMA ESPAÇONAVE, SATÉLITE OU OUTRO OBJETO FACILMENTE
[3]. UMA ESFERA DE ALUMÍNIO DE 1,3MM DE DIÂMETRO PODE CAUSAR UM DANO EQUIVALENTE, QUANDO VIAJA PELO ESPAÇO, A UM TIRO DE UM RIFLE CALIBRE 22. UMA ESFERA DE 1 CM É COMPARÁVEL AO IMPACTO DE UM CORPO DE 182 KG A 96,6 KM/H. JÁ UMA ESFERA DE 10 CM É EQUIVALENTE A 25 DINAMITES [7].                                                                              PROBLEMAS ATUAIS: NOS ÚLTIMOS 50 ANOS,  O ESPAÇO PRÓXIMO À TERRA FOI POVOADO POR SATÉLITES QUE SÃO USADOS PARA MONITORAMENTO E ADMINISTRAÇÃO DE DADOS DE REGIÕES, ASSIM COMO PREVÊEM E TRANSMITEM INFORMAÇÕES DE UMA PARTE DO MUNDO PARA OUTRAS. ATUALMENTE, VÁRIOS SATÉLITES SÃO LANÇADOS, REPARADOS E PERDIDOS TODOS OS DIAS. SENDO QUE QUANDO SÃO PERDIDOS, ELES CONTINUAM EM ÓRBITA, SEM CONTROLE E INDEFINIDAMENTE. LOGO, O NÚMERO DE DEJETOS ESPACIAIS  (QUE CONSTITUEM O  LIXO ESPACIAL)  AUMENTA A CADA SATÉLITE LANÇADO. EXISTEM MAIS DE 2.000 SATÉLITES EM ÓRBITA NA TERRA, CADA UM REALIZANDO UMA FUNÇÃO DE MONITORAMENTO OU TRANSMISSÃO. TODOS VIAJAM EM TORNO DA TERRA AO MESMO TEMPO, EM ORIENTAÇÕES DIFERENTES [8]. A   MAIORIA   DOS   SATÉLITES   QUE   ESTÃO   DISPOSTOS   NO   ESPAÇO   FORAM   LANÇADOS   PELA ORGANIZAÇÃO AMERICANA NASA. ATUALMENTE, MAIS DE 20 SATÉLITES FORAM ENVIADOS AO ESPAÇO PELA   NASA  APENAS   PARA   PREVER   INFORMAÇÕES   SOBRE   ESTADOS   FUTUROS   DE   DETERMINADAS CARACTERÍSTICAS DA TERRA, COMO, POR EXEMPLO, PREVER FUTURAS ÁREAS DE DEVASTAÇÕES FLORESTAIS. OUTROS VÁRIOS SATÉLITES FORAM DISPOSTOS POR EMPRESAS PRIVADAS, PODENDO TER FUNÇÕES DIVERSAS DESDE GERENCIAMENTO DE LIGAÇÕES TELEFÔNICAS A TRANSMISSÕES DE IMAGENS DE TELEVISÃO [9]. O BRASIL POSSUI SEIS[9] SATÉLITES EM ÓRBITA NO TOTAL: DOIS DELES SÃO SATÉLITES DE COLETAS DE DADOS (SCD-1 E SCD-2) E UM DE SENSORIAMENTO REMOTO (CBERS-1) [10].  O PROBLEMA EM  RELAÇÃO  AO  LIXO  ESPACIAL   RESIDE NO  CRESCENTE NÚMERO DE  SATÉLITES INATIVOS  QUE   SUPERAM  A  FAIXA DOS 6.200,   ENQUANTO QUE MENOS DE  2.500  SATÉLITES  ESTÃO OPERANTES NO ESPAÇO [8]. NÃO   SÃO  APENAS   RESTOS   DE   SATÉLITES   QUE   PARTICIPAM  DO   CHAMADO  “LIXO   ESPACIAL”. DIVERSOS OUTROS OBJETOS  TAMBÉM  FAZEM PARTE DESSA CATEGORIA,   INCLUSIVE ALGUNS BASTANTE PERIGOSOS, COMO OS TANQUES DE COMBUSTÍVEL DE FOGUETES. QUANDO UM FOGUETE É LANÇADO, SEU COMBUSTÍVEL É QUEIMADO,  IMPULSIONANDO-O PARA CIMA, FAZENDO QUE EM ALGUM TEMPO (E COM MUITO GASTO DE COMBUSTÍVEL) ELE ATRAVESSE A BARREIRA ENTRE A ATMOSFERA TERRESTRE E O ESPAÇO. MESMO APÓS ATINGIR O ESPAÇO, SEMPRE SOBRA UMA QUANTIDADE PEQUENA DE COMBUSTÍVEL NO TANQUE, O QUE PODE LEVAR A  CONTAMINAÇÕES OU EXPLOSÕES EM CASO DE QUEDA. A SUBSTÂNCIA DA QUAL O MAIS COMUM COMBUSTÍVEL É FEITO, A HIDRAZINA, É TÓXICA. MAS EM QUANTIDADES  TÃO PEQUENAS  ÃO OFERECE PRATICAMENTE NENHUM  RISCO  (ALÉM DO DANO DA QUEDA EM SI). NEM TODOS OS FOGUETES USAM A HIDRAZINA COMO COMBUSTÍVEL, MUITOS FOGUETES E SATÉLITES ESPIÕES RUSSOS E AMERICANOS UTILIZAM UM MATERIAL NUCLEAR, O PLUTÔNIO. TANQUES DE COMBUSTÍVEIS NUCLEARES JÁ CAÍRAM EM TERRA, COMO FOI O CASO DE UM SATÉLITE ESPIÃO RUSSO QUE ATINGIU O CANADÁ,  HAVENDO  RISCOS DE CONTAMINAÇÃO DE DETRITOS DE BATERIAS,  QUE CONTÉM DIVERSOS TIPOS DE ÁCIDOS [11]. 
INCIDENTES ENVOLVENDO A POLUIÇÃO ESPACIAL: A PROBABILIDADE DE OCORRER UMA QUEDA DE UM OBJETO ESPACIAL, E DE ESTE OBJETO ATINGIR ALGUÉM NA  SUPERFÍCIE  TERRESTRE É  MUITO PEQUENA.  É  TÃO PEQUENA QUE  HOJE DISPOMOS DE POUCOS EXEMPLOS DE CASOS EM QUE PESSOAS FORAM ENVOLVIDAS PERTO DA QUEDA DO SATÉLITE OU LIXO ESPACIAL QUALQUER. ENTRETANTO, EMBORA POUCO PROVÁVEIS, EXISTEM DIVERSOS CASOS DE QUEDA DE CORPOS DE TAMANHO CONSIDERÁVEL SOBRE A SUPERFÍCIE DA TERRA QUE PODERIAM TER ATINGIDO UMA ÁREA URBANA POVOADA.  APESAR   DE  MILITARES   RESPONSÁVEIS   NORTE-AMERICANOS   E   SOVIÉTICOS   ESTAREM  DE PRONTIDÃO PARA  INTERCEPTAR  EVENTUAIS OBJETOS QUE VENHAM DO ESPAÇO,  ENCONTRAM-SE CASOS ONDE ELES NADA PUDERAM FAZER PARA MUDAR A TRAJETÓRIA DO MESMO, FAZENDO ESTE MUITAS VEZES CAIR EM ÁREAS DE TERRA FIRME, ONDE PODERIAM HABITAR PESSOAS [5]. A QUEDA OU IMPACTO CAUSADO PELO LIXO ESPACIAL NÃO APENAS TEM PREJUÍZOS EM RELAÇÃO A PERDAS DE VIDAS OU  FERIMENTOS:  MUITAS EMPRESAS  TÊM PREJUÍZOS  FINANCEIROS POR CAUSA DA DESTRUIÇÃO DE SATÉLITES OU PLATAFORMAS ESPACIAIS DIRETA OU INDIRETAMENTE CAUSADAS PELO LIXO ESPACIAL.                                                  ALGUNS EXEMPLOS DE QUEDAS DE SATÉLITES QUE JÁ OCORRERAM NO BRASIL E NO RESTO DO MUNDO:                                                                             NATAL-RN: UM CASO RECENTE ACONTECEU EM 2004, QUANDO UM SATÉLITE CHINÊS CAIU NAS PROXIMIDADES DE NATAL-RN, NO DIA 6 DE NOVEMBRO, TENDO SIDO POSSÍVEL VÊ-LO A PARTIR DE CIDADES TANTO DO RIO GRANDE DO NORTE, QUANTO DA PARAÍBA, COMO CAMPINA GRANDE E SANTA LUZIA. SUA TRAJETÓRIA PODE SER VISTA ATRAVÉS DA FIGURA 2. ESSE SATÉLITE FOI VISTO NOS CÉUS DE NATAL NUM SÁBADO DE NOITE. O SATÉLITE FSW-32 ERA RESPONSÁVEL POR TIRAR FOTOGRAFIAS DA TERRA. INICIALMENTE, TODOS PENSAVAM QUE SE TRATAVA DE UM METEORITO, SÓ DE ÚLTIMA HORA NOTARAM A ORIGEM VERDADEIRA DO OBJETO.  
FIGURA 2: TRAJETÓRIA DESVIADA DE SATÉLITE [12]






                                                                                                                                  QUANDO ESTAVA EM ÓRBITA, ESSE SATÉLITE FICAVA ENTRE 150 E 400 QUILÔMETROS DA TERRA E CONSEGUIA CAPTURAR IMAGENS DE ATÉ UM METRO DE DISTÂNCIA. ESSE NÃO FOI O PRIMEIRO SATÉLITE A EXPLODIR  NOS CÉUS POTIGUARES. HÁ  INFORMAÇÕES DE QUE,  EM 1974, UM OBJETO  SEMELHANTE TAMBÉM TENHA PASSADO PELO ESTADO. QUANDO CRUZOU OS CÉUS DE NATAL,  O SATÉLITE SE ENCONTRAVA A 80 KM DE ALTURA.  HÁ INDÍCIOS DE QUE, AO SE DIVIDIR EM PEDAÇOS DURANTE SUA TRAJETÓRIA, PARTE DO SATÉLITE TENHA CAÍDO NA CIDADE DE ELÓI DE SOUZA-RN. NÃO HOUVE NENHUM FERIDO COM O INCIDENTE [12].                                                                                                                                                                     ARGENTINA: UM  OBJETO   INCANDESCENTE   CAIU   DO   CÉU   E   PROVOCOU   UMA   GRANDE   EXPLOSÃO,   QUE ESTREMECEU A TERRA NAS PROXIMIDADES DE BUENOS AIRES. ESSE OBJETO CONSISTIA DE UMA PARTE DESPRENDIDA DE UM SATÉLITE ITALIANO, ERA METÁLICO E PESAVA 30 KG. CAIU A 1.000 KM AO NORTE DA CAPITAL DA ARGENTINA, BUENOS AIRES. POR SORTE, O OBJETO CAIU EM UMA REGIÃO RURAL, NÃO ATINGINDO NINGUÉM. OS RÁDIOS LOCAIS DESCREVERAM COMO SENDO UMA “GRANDE BOLA DE FOGO” [13].                                                                                                  HOUSTON: UM PEQUENO OBJETO NÃO  IDENTIFICADO VINDO DO ESPAÇO  (UM DETRITO QUE ESTAVA EM ÓRBITA) DESTRUIU O TERCEIRO ESTÁGIO DE UM MÍSSIL INTERCONTINENTAL DURANTE UM TESTE DE “VÔO” SOBRE AS ILHAS MARSHALL, PELA BALLISTIC MISSILE DEFENSE ORGANIZATION (BMDO). O SISTEMA LANÇADOR DO MÍSSIL FOI EXECUTADO DA BASE AÉREA DE VANDENBERG, ÀS 7:25H (HORÁRIO DO PACÍFICO) NO DIA 15 DE JANEIRO DE 1998. O IMPACTO COM O DETRITO ESPACIAL OCORREU POR VOLTA DE 30 MINUTOS DEPOIS DO LANÇAMENTO, JÁ NO OCEANO PACÍFICO, PERTO DE KWAJALEIN NAS ILHAS MARSHALL. APESAR DE NÃO TEREM TIDO FRACASSO, POSTERIORMENTE,  DURANTE A MISSÃO, HOUVE UM PREJUÍZO SIGNIFICATIVO COM A PERDA DO MÍSSIL EM  ESENVOLVIMENTO[14].                                                                                                                                    SOLUÇÕES: ALGUMAS SOLUÇÕES JÁ FORAM PROPOSTAS PARA REDUZIR OS PROBLEMAS CAUSADOS POR SATÉLITES E OBJETOS ESPACIAIS EM GERAL, DE POLUIR O ESPAÇO PRÓXIMO À TERRA. GERALMENTE AS ALTERNATIVAS  REQUEREM UM MAIOR CUSTO NA  FABRICAÇÃO DOS PRÓPRIOS SATÉLITES EM SI, POIS PREVÊEM A INSTALAÇÃO DE CERTOS DISPOSITIVOS ADICIONAIS, COMO UM “MINI- FOGUETE”. NORMALMENTE, QUANDO UM SATÉLITE OU OBJETO ESPACIAL  ESTÁ EM CONDIÇÕES DE DEFEITO IRREVERSÍVEL, OU QUANDO ELE SE TORNA INOPERANTE DEVIDO AO TÉRMINO DE SUA ENERGIA INTERNA, ELE FICA VAGANDO EM  SUA ÓRBITA AO  REDOR DA TERRA,   ATÉ QUE UM DIA A  FORÇA GRAVITACIONAL  E MAGNÉTICA DA TERRA NATURALMENTE O ATRAI PARA SEU INTERIOR, DESTRUINDO-O. ENTÃO UMA ABORDAGEM SIMPLES DE  FAZER COM QUE OS SATÉLITES SUMAM DA  REGIÃO DE DETRITOS   DA   TERRA   É   SIMPLESMENTE   DEIXÁ-LOS   SOLTOS:   FAZENDO-OS   NATURALMENTE   SEREM DESTRUÍDOS,   DESINTEGRADOS   AO  ATINGIREM  A   BARREIRA  DA  ATMOSFERA   TERRESTRE   COM  O  ESPAÇO EXTERIOR. ESTE MÉTODO,  PORÉM,  CONTÉM O  INCONVENIENTE DE  FAZER OS   SATÉLITES  FICAREM MUITO MPO EXPOSTOS AOS DETRITOS QUE ORBITAM A TERRA, AUMENTANDO AS CHANCES DE CAUSAR COLISÕES. DEPENDENDO DA POSIÇÃO, ÂNGULO E VELOCIDADE DE UM SATÉLITE, ELE PODE FICAR ORBITANDO SEM ONTROLE DESDE ALGUNS MESES OU ANOS ATÉ MILHARES DE ANOS ANTES DE FINALMENTE SER DESTRUÍDO ATURALMENTE.   AO   PROCESSO   DE   TRAZER   SATÉLITES   DE   VOLTA   PARA   “BAIXO”   CHAMA-SE DESORBITAR” [15]. EXISTEM   DISPOSITIVOS   QUE   FORAM   DESENVOLVIDOS,   MAS   QUE   AINDA   ESTÃO   SENDO PRIMORADOS, QUE FACILITAM ESSE PROCESSO DE PULVERIZAÇÃO DO SATÉLITE NA ATMOSFERA.  EM GERAL, O FUNCIONAMENTO DESSES DISPOSITIVOS É BASTANTE SIMPLES. É CONSTRUÍDO UM PARELHO PARECIDO COM UM  FOGUETE,  PORÉM DE  TAMANHO  REDUZIDO.  ELE CONTÉM UMA CERTA QUANTIDADE DE ENERGIA QUE FICA DEPOSITADA EM SEU  INTERIOR E SÓ É  LIBERADA PARA PROVOCAR MOVIMENTO, QUANDO ORDENADA ATRAVÉS DE COMANDOS VINDOS DA TERRA OU ATRAVÉS DE COMANDOS
NDOS DO PRÓPRIO SATÉLITE AO QUAL ELE ESTÁ ACOPLADO.                                                                                                                                                           FIGURA 3: PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DO MINI-FOGUETE [15] 

NO MOMENTO OPORTUNO –   QUANDO   O   SATÉLITE   ESTIVER INOPERANTE   OU   QUANDO MENSAGENS   VINDAS   DA  TERRA ORDENEM – O “MINI-FOGUETE” PODE   UTILIZAR-SE   DE PROPRIEDADES  MAGNÉTICAS   DA TERRA   DE   MODO   A   GASTAR POUQUÍSSIMA   ENERGIA   E ACELERAR O PROCESSO DE QUEDA DO SATÉLITE, ASSIM COMO ESTÁ ILUSTRADO   PELA   FIGURA   3.  A ENERGIA   CONTIDA   EM   UM APARELHO  DESSES   PODE   DURAR ANOS   SEM   NENHUM   GASTO CONSIDERÁVEL, DIFERENTEMENTE DOS   SATÉLITES,   QUE   MUITAS VEZES FICAM APENAS POR 5-10 ANOS   NO   ESPAÇO, ANTES   DE ESTAREM INOPERANTES. A TABELA 1 APRESENTA GANHOS CONSEGUIDOS COM ESSA TÉCNICA E MOSTRA A MELHORIA DE DESOCUPAÇÃO  DOS   SATÉLITES  NA  REGIÃO  ACIMA  DA   ATMOSFERA   TERRESTRE,   SIMULADA  ATRAVÉS  DE EQUAÇÕES DIFERENCIAIS COMPLEXAS SOBRE SATÉLITES EXISTENTES. SABEMOS QUE DOS 6.200 SATÉLITES QUE HOJE ORBITAM O ESPAÇO, APENAS MENOS DE 2.500 ESTÃO OPERANTES, EXISTINDO UM NÚMERO MUITO GRANDE DE SATÉLITES CUJO ÚNICO COMPORTAMENTO ATUALMENTE É ESBARRAR EM OBJETOS QUE TAMBÉM FLUTUAM SOBRE A TERRA, PODENDO DANIFICAR OUTROS SATÉLITES FUNCIONAIS [15].                                                                                                         TABELA 1: MELHORIA DO TEMPO NECESSÁRIO À DESORBITA DE SATÉLITES ATRAVÉS DO USO DE APARELHOS ADICIONAIS [15]
                                                                     
EXISTEM OUTRAS ABORDAGENS A SE  TOMAR,  ALÉM DE “DESORBITAR” OS SATÉLITES,  A  FIM DE TORNAR A QUANTIDADE DE DETRITOS NO ESPAÇO MENOR. GERALMENTE, PORÉM, ESSAS OUTRAS TÉCNICAS UTILIZAM OU MECANISMOS MUITO ENGENHOSOS E, PORTANTO, DIFÍCEIS OU MESMO IMPOSSÍVEIS DE SE IMPLEMENTAR COM A TECNOLOGIA VIGENTE, OU PROCESSOS QUE DEMORARIAM CENTENAS OU DEZENAS DE ANOS PARA SE DAREM POR COMPLETOS OU A NÍVEIS SATISFATÓRIOS. COMO EXEMPLO DE OUTRAS FORMAS DE APROVEITAR OU RETIRAR DETRITOS DO ESPAÇO PODEMOS CITAR A RECICLAGEM DE DETRITOS ESPACIAIS [16] E O USO DE FEIXE DE RAIOS LASER PARA A DESTRUIÇÃO OS SATÉLITES [17].            CONSIDERAÇÕES: COM  O   APRESENTADO   NESTE   TRABALHO,   PODEMOS   VER   QUE   O   NÚMERO   DE   OBJETOS DEPOSITADOS NO ESPAÇO PRÓXIMO À TERRA É CRESCENTE. E A PROPORÇÃO ENTRE A QUANTIDADE DE OBJETOS ATIVOS QUE ORBITAM O PLANETA E A QUANTIDADE DE LIXO ESPACIAL É ALARMANTE. ALGUMAS IDÉIAS FORAM PROPOSTAS PARA AMENIZAR OU EVITAR QUE MAIS E MAIS DETRITOS SE APOSSEM DO ESPAÇO PRÓXIMO DA TERRA, MAS POUCOS MÉTODOS SÃO PASSÍVEIS DE SEREM POSTOS EM PRÁTICA COM RENDIMENTO PERCEPTÍVEL.  ALÉM DISSO,  NÃO TEMOS TAMBÉM NENHUM MÉTODO ÚNICO EM QUE, AO SE UTILIZAR APENAS ELE, TENHA-SE RESULTADOS SATISFATÓRIOS. OS MÉTODOS QUE PODEM SER IMPLEMENTADOS SE RESTRINGEM APENAS AO LANÇAMENTO DE NOVOS OBJETOS FABRICADOS, MAS NADA AJUDAM QUANTO AO LIXO JÁ DEPOSITADO NO ESPAÇO (A EXEMPLO DOS “MINI-FOGUETES” CITADOS). QUANTO AOS QUE DESPOLUEM O LIXO JÁ DEPOSITADO, ESTES DEMORAM MUITO PARA SEREM CONCRETIZADOS (E COM ISSO O CUSTO ELEVA-SE) OU NÃO SE  ENCONTRA TECNOLOGIA SUFICIENTE PARA REALIZÁ-LOS EFICAZMENTE. FATO É QUE, COM A CRESCENTE POLUIÇÃO ESPACIAL, EM VÁRIOS ANOS O NÚMERO DE LIXO SERÁ TAMANHO QUE NÃO MAIS TEREMOS PONTOS DISCRETOS DE DETRITOS NO ESPAÇO, MAS GRANDES NUVENS DE   RESTOS   DE   TECNOLOGIA   HUMANA,   TORNANDO  INVIÁVEL   A   EXPANSÃO  E   USO  DO  ESPAÇO  PARA PESQUISAS E MEIOS DE COMUNICAÇÃO [18]. AS   TECNOLOGIAS   DE   FABRICAÇÃO   DE   SATÉLITES   NOS   ÚLTIMOS   50   ANOS   SOFRERAM  UMA REVOLUÇÃO SIGNIFICATIVA. SATÉLITES ESTÃO SENDO FABRICADOS COM DIMENSÕES CADA VEZ MENORES. PORÉM,  QUANTO MENOR UM  SATÉLITE É,  MAIORES SÃO OS DANOS CAUSADOS COM OS DETRITOS DE TAMANHO MENOR (E AINDA MAIS COM OS MAIORES). ENFIM, PODEMOS CONCLUIR QUE URGE SURGIR UM PADRÃO PARA EVITAR A “FABRICAÇÃO” DE DETRITOS ESPACIAIS,  UMA VEZ QUE QUASE  TODOS OS SATÉLITES ENVIADOS AO ESPAÇO ATUALMENTE VIRAM  LIXO EM MENOS DE 10 ANOS.  ATÉ AGORA,  OS  FABRICANTES PARTICULARES PRODUZEM SEUS DISPOSITIVOS  ISENTOS DA OBRIGAÇÃO DE  IMPLANTAREM ALGUM MÉTODO ANTI-POLUIÇÃO ESPACIAL. CASO A NASA OU ALGUMA OUTRA ASSOCIAÇÃO ESTIPULAR UM PADRÃO DE FABRICAÇÃO PARA OS NOVOS SATÉLITES, TEREMOS UMA ESTAGNAÇÃO NAS TAXAS DE AUMENTO DE POLUIÇÃO, ENQUANTO PODEREMOS APLICAR PARALELAMENTE  TECNOLOGIAS PARA DESPOLUIR O LIXO JÁ EXISTENTE.

 REFERÊNCIAS
1.       ROY, ROBERT BRITT, “NASA'S SPACE DEBRIS OFFICE COULD GET JUNKED”. DISPONÍVEL EM: http://www.space.com/news/spaceagencies/orbital_debris_020422.html (ACESSADO EM MARÇO, 2005).
2.       LEI FEDERAL BRASILEIRA, Nº 6938/81 - LEI DE POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE 31/08/1981. DISPONÍVEL EM: http://www.ambiente.sp.gov.br/leis_internet/geral/politica_meio/lei_fed693881.htm (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
3.       JOHN, LIANA, “O LIXO EM ÓRBITA SOBRE NOSSAS CABEÇAS”. LIANA JOHN. DISPONÍVEL EM: http://www.estadao.com.br/ciencia/noticias/2003/mai/02/32.htm (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
4.       ANDROIDPUBS.COM, “LOW EARTH ORBITING FACILITIES”. DISPONÍVEL EM http://www.androidpubs.com/chap05.htm (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
5.       PAMELA, “SPACE POLLUTION”, PAMELA D., NEW PALTZ, NY. DISPONÍVEL EM: http://www.teenink.com/past/1996/7326.html (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
6.       ROY, ROBERT BRITT, “SPACE JUNK: THE STUFF LEFT BEHIND”. DISPONÍVEL EM: http://www.space.com/spacewatch/space_junk.html (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
7.       COOK, JOBI. & HORN, KYLE VAN. & RIDGE, ASHLEY. & JORDAN, BRIANNA. “TALKING TRASH ABOUT SPACE”. http://ceres.cals.ncsu.edu/cfdocs/course/bo277/112602_trash.pdf  (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
8.       NASA.GOV, “SATELLITE SITUATION REPORT”. DISPONÍVEL EM: http://liftoff.msfc.nasa.gov/academy/rocket_sci/satellites/ssr.html (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
9.       NASA.GOV, “HOW MANY SATELLITES DOES NASA USE TO STUDY EARTH?”. DISPONÍVEL EM: http://ksnn.larc.nasa.gov/webtext.cfm?unit=satellites (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
10.     AGENCIA ESPACIAL BRASILEIRA.GOV – “QUANTOS SATÉLITES BRASILEIROS JÁ ESTÃO EM ÓRBITA?”. DISPONÍVEL EM: http://samba.aeb.gov.br/conteudo.php?ida=12&idc=60&id=4  (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
11.     JOHN, LIANA, “UFOS OU LIXO ESPACIAL”. LIANA JOHN. DISPONÍVEL EM: http://www.ufo.com.br/index.php?arquivo=notcomp.php&id=415 (ACESSADO EM ABRIL, 2005)
12.     JORNAL TRIBUNA DO NORTE, “CONFIRMADO SATÉLITE CAIU NO RN”. DISPONÍVEL EM: http://www.ufogenesis.com.br/noticias/noticias.asp?noticias=2258 (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
13.     JORNAL ESTADAO, “PEDAÇO DE SATÉLITE CAI EM PROVÍNCIA ARGENTINA”. DISPONÍVEL EM: http://www.estadao.com.br/ciencia/noticias/2004/jan/21/148.htm (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
14.     SPACE NEWS MAGAZINE (16-22 DE FEVEREIRO, 1998, P. 03). ARMY TIMES PUBLISHING CO. BY JAMES E. OBERG (UM ARTIGO ESPECIAL AO SPACE NEWS MAGAZINE).
15.     R.L. FORWARD, R.P. HOYT, C. UPHOFF, TETHER TECHNICAL INTERCHANGE MEETING, HUNTSVILLE, AL SEPT 10 1997. DISPONÍVEL EM: http://www.tethers.com/papers/ttpaper.pdf (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
16.     CARROLL, JOSEPH, “SPACE TRANSPORT DEVELOPING USING ORBITAL DEBRIS”. www.niac.usra.edu/files/library/annual_report/2002annualreport.pdf (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
17.     AFP, “NASA HOPES LASER BROOM WILL HELP CLEAN UP SPACE DEBRIS”. http://www.spacedaily.com/news/debris-00a.html (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
18.     THE AEROSPACE CORPORATION. “WHAT ARE DEBRIS CLOUDS?”. http://www.aero.org/capabilities/cords/debris-clouds.html (ACESSADO EM ABRIL, 2005).
POR: BRUNO COUTINHO (CIENTISTA DA COMPUTAÇÃO, CAMPINA GRANDE). http://www.brunocoitinho.com